ebook lapis de noiva

Planner de Casamento

Casamento ao nascer do sol Charissa e João – Para morrer de amores!

Bom dia meninas!! O casamento de hoje tem um detalhe bem diferente do que costumamos ver aqui no blog: aconteceu durante o nascer do sol. Isso mesmo! Bem cedinho!!

A Charissa e o João, após nove meses de pesquisa, orçamentos, planilhas e projetos frustrados, pressionados pelo tempo e sem se identificarem com o que já conheciam, se depararam com o tal do elopement wedding”. Selecionaram a dedo quem estaria com eles durante o dia mais lindo da vida. Tudo com muito sentimento, intimidade e amor!

Contrataram a assessoria da Fica, vai ter bolo!, que apresentou o local certeiro para o que tinham em mente. Uma casa na região serrana na cidade de Cunha/SP. Foi amor à primeira vista, e que vista! A partir dali planejaram que eles mesmos montariam o café da manhã e levariam artigos de decoração e arranjos florais pré-moldados para compor a festa.

O horário escolhido foi o nascer do sol! Isso mesmo. 6h24min era a estimativa. A intenção era homenagear o início do relacionamento que foi ao nascer do sol e aproveitar a luz linda desse horário magnífico.

Os fotógrafos e cinegrafistas foram escolhas fáceis para os noivos que já tinham preferência pelo trabalho deles, ainda mais depois de saber que esse “quarteto fantástico” já havia trabalhado junto, o que influencia bastante na sintonia dos registros.

Impossível não se apaixonar por cada clique dos Marcelinos Fotografia!

Making of da noiva na madrugada! É tanta adrenalina que a última coisa que existe é sono!!!

Café da manhã para a família. Bem caseiro, mas cheio de amor e carinho!
Consigo imaginar a alegria que foi sentar nessa mesa e dividir a “nova vida”.

Depoimento da Noiva

“Naquela manhã de 15ºc graus eu acordei às 2h40, minha produção começou pontualmente às 3h, e supreendentemente eu estava pronta, antes da hora, no meu quarto de noiva, esperando apenas o convidado SOL chegar.”

“Outros aspectos da cerimônia chamaram a atenção e um deles foi a sugestão da paleta de cores dos convidados (essa informação foi passada através do “Guia do Convidado”, que instruía sobre a localização e detalhes do evento), como éramos poucos me preocupei que os trajes destoassem e decidi restringir as cores, a equipe de mídia concordou imediatamente e percebi que foi uma decisão acertada, algo que era essencial, um toque para tornar tudo mais lindo.”

“Pedimos também que os convidados não usassem os celulares no momento da cerimônia, (Esse pedido foi comunicado no cartão de boas-vindas). Novamente pela razão de sermos poucos, os aparelhos chamariam muita atenção, e costumam atrapalhar os que estão registrando oficialmente, então por razões estéticas e de reverência ao momento fizemos questão de algo privado, íntimo e pessoal.”

“Em quarto lugar, os nossos pais celebraram a nossa união, os quatro. Os pais do noivo e a mãe da noiva tiveram alguns minutos para proferirem bênçãos a respeito do nosso futuro, como um símbolo de legado do lar, e por último, o meu pai que é pastor da nossa religião pronunciou a benção final.”

“Também houve algo incomum nos votos. Geralmente os votos tradicionais no rito religioso são ditos pelo celebrante e repetido pelos noivos, ou textos preparados de um noivo para o outro contendo memórias da época de namoro, troca de elogios e promessas de comportamento do indivíduo na nova vida. No nosso caso, não. Nós dois escrevemos os votos juntos, como algo que o casal se propôs a cumprir, não promessas minhas para João, ou de João para mim, mas promessas de Charissa e João para o relacionamento.”

“Após a cerimônia, tivemos um café da manhã preparado por funcionárias da casa que fizeram as compras de queijos e frutas frescas para os sucos naturais, que se estendeu até o almoço, finalizando aquelas horas de festa com um belo churrasco preparado pelo pai e irmã da noiva. Os noivos e convidados já estavam com roupas de banho curtindo a casa, sem se quer se lembrarem da hora que haviam acordado.”

“O roteiro inusitado, sem visita técnica prévia, sem ensaio geral, reuniões virtuais, sem teste de iluminação, sem degustação de bolo, doces ou qualquer item do menu servido, foi capaz de retratar exatamente o que o nosso relacionamento representa para nós.”

“Jamais vou esquecer do momento da festa em que eu e João nos olhávamos desacreditados e falávamos: Deus fez mais! Nossos pais e convidados estavam tão surpresos quanto nós, nos parabenizaram por nossa escolha e diziam repetidas vezes que jamais haviam visto algo assim. Foi divino.”

“As nuvens pareciam que estavam nos tocando, e o sol produzia raios entre elas que era difícil de acreditar, a vista a nossa frente era um chamado ‘mar de montanhas’ porque havia dezenas delas, para todos os lados, até onde nossos olhos podiam alcançar. Tudo parecia uma superprodução, algo cinematográfico, era a natureza fazendo o que sabe fazer de melhor, encantar.”

Love Story

“Nos conhecemos em maio de 2015, na universidade, através de amigos em comum. Ele cursava teologia e eu direito. Quando começamos a conversar notamos que apesar da semelhança nos princípios de vida, a nossa personalidade era basicamente oposta, o que nos chamou atenção e rendeu boas gargalhadas, longas conversas e uma amizade singular.”

“Foi na praia que tudo começou, ao nascer do sol e foi também no mar que aconteceu o pedido de namoro, em novembro de 2015. A natureza sempre esteve presente em nosso relacionamento, conversávamos debaixo de árvores, fazíamos piquenique ao ar livre, e até visitas à fazendinha do colégio interno (apesar da ex-noivinha aqui não ser tão fã do mato assim). Amamos mesmo a imensidão do oceano e ele gosta muito do que as montanhas significam.”

A áurea da manhã. Iluminando e deixando tudo mais perfeito ainda.
Valeu a pena cada esforço e a escolha de se casarem cedinho. A luz veio como um presente. Pra eles e para os fotógrafos também, não é mesmo?

Pedido de Noivado

“Passado pouco mais de um ano em que havíamos sido apresentados, decidimos nos casar, e adivinhem só onde foi o pedido de casamento? Quem disse litoral acertou, com direito a tochas de fogo, varal de pisca-piscas, scrapbook, anel dos sonhos e até jantar à luz de velas (velas de led – à prova de vento), o meu pedido tinha uns três ou quatro tipos de pedidos juntos e eu achei isso O MÁXIMO!”

 

Dicas da Fica vai Ter Bolo para casamentos ao nascer do sol:

“Organizar um casamento, no nascer do sol é lindo demais, mas os desafios são diferentes. A gente sempre diz que um casamento é diferente do outro, mas nesse caso, não apenas os detalhes, mas TUDO é diferente.

1º. Cronograma de planejamento. No caso da Charissa e do João tivemos apenas dois meses para isso. Encontrar o local perfeito, pensar na logística, na montagem, nos serviços necessários, enfim, tudo precisa ser perfeito, então o planejamento não pode deixar a desejar em nada.

2º. Localização. Quando nós dizemos que elopement wedding é muito versátil, não estamos mentindo, o local do casamento pode ser próximo, como pode ser em uma cidade que você nem sabia que existia no mapa, como no caso da Charissa e João. Nós precisamos ir atrás de tudo para ver se a cidade tinha algum serviço que nos atendia e para nossa surpresa, não tínhamos nada lá de fácil acesso. É uma cidadezinha pequena, com muitos produtores rurais, aliás, os queijos e frutas, fizemos questão que fossem de lá!

3º. Logística de todos os serviços até o local. Contratamos todo mundo de fora, exceto a equipe que a casa nos ofereceu para preparação do café da manhã. Então precisamos pensar em transporte e hospedagem para nós, fotógrafos, cinegrafistas e músicos. Sem contar a chegada de todos os demais materiais no dia anterior, afinal, nada iria chegar antes das 6h né? O carro com os itens de decoração, as compras de supermercados e padarias, os convidados, tudo estava lá no final do dia que antecedia o evento.

4º. Passar para os convidados a importância da pontualidade. O sol não nos esperaria, precisávamos estar a postos quando chegasse o momento perfeito e para isso, reunimos todos os amigos e familiares em uma roda na noite anterior e explicamos com jeitinho o que precisávamos, toda atenção que eles precisariam para o momento e também a restrição ao uso de celular, que foi um pedido feito pela noiva, mas apenas durante a cerimônia. Todo mundo foi super solícito e atencioso, no momento exato, todos estavam lá, prontos para o grande acontecimento!

Ver o resultado de tudo isso, o brilho nos olhos dos pais, dos noivos e dos mais próximos, não tem preço, vale a pena cada minuto trabalhado durante a madrugada para que tudo fosse como sonhado. Saímos de lá com a sensação de que QUEREMOS MAIS DISSO!”

Veja Também:

A Dois para Sempre! – Elopement Wedding Arthur & Tairine
Nascer do Sol no Pico da Bandeira – Pré-Casamento Renata & Bruno
Casamento ao Nascer do Sol – Lia & Felipe

 

Gente que ama o que faz

Assessoria e Cerimonial: Fica, vai ter bolo! Assessoria de Eventos | Foto: Marcelinos Fotografia

Fornecedores

Assessoria e Cerimonial: Fica, vai ter bolo! Assessoria de Eventos | Foto: Marcelinos Fotografia | Local: Casa Amadu | Filme: Cabrita Filmes | Vestido Noiva: Casamarela | Decoração: A Florista | Make: Rayane Calais Makeup | Celebrantes: Pais dos noivos | Caderninho de Votos: Fredericas Handmade | Suportes: Elaine Fabri Home | Penteado: Raíssa Barbosa | Café da Manhã: Dona Bella Casa de Delícias

Comentários via Facebook

Deixe seu comentário via blog

Comentários via blog

  1. Eu adoro olhar esses sites de casamento ….mais esse foi o mais lindo que já vi.
    Ótima inspiração