Eu escolhi amamentar exclusivamente até os 6 meses

Em alguns dias vamos começar a introdução alimentar por aqui. Confesso que estou ansiosa, meio nostálgica também. Mas, o que mais sinto é gratidão! É uma vitória amamentar e fazer parte de uma pequena porcentagem de mamães que conseguem amamentar exclusivamente até os 6 meses.

Sempre conto para vocês a minha experiência, as minhas impressões e o caminho que EU escolhi seguir. Não sou pediatra, nem nutricionista, apenas uma mãe de primeira viagem super curiosa e tentando encontrar o caminho que mais combine com a nossa rotina, com o nosso estilo de vida.

Desde que soube que teria um bebê eu já orei pela saúde dele. A gente não tá nem aí se virá bonito, feinho, magrinho, gordinho, careca, cabeludo… (mas eu acho todos os bebês lindos e fofos rs) Tudo o que queremos é saúde, sabedoria e paciência, porque amor, já tem de sobra! Na minha listinha de oração em segundo lugar vinha a amamentação. Queria muito conseguir nutrir meu bebê e viver essa experiência. Mas eu pequei em estudar pouco, em conhecer de forma superficial tudo o que envolve a amamentação. Aprendi na raça mesmo, rs.

Eu já falei sobre a minha experiência com a amamentação nesse post aqui. Hoje quero falar porquê escolhi amamentar exclusivamente. Preciso deixar bem claro que é a minha opinião, o que deu certo comigo e o que eu acho correto, ok?

Trabalho em casa

Eu trabalho em casa e não precisaria me afastar da Bela quando ela completasse 4 meses, como a maioria das mamães. Esse foi um dos fatores que mais contribuiu. Embora seja possível fazer a ordenha do leite e estocar, é muito difícil produzir para um dia inteiro. Eu consegui me organizar bem para atender a Bela sempre que tivesse fome ou vontade de mamar e não precisei estocar leite. Ela não faz ideia do que seja mamadeira.

A importância da livre demanda

A livre demanda foi essencial! Nos primeiros meses o nosso corpo produz muito leite, mas com o tempo, se ajusta à demanda do bebê. Depois da minha primeira crise (e única) de baixa produção de leite, escolhi amamentar em livre demanda. Entendi que quanto mais a Bela mamasse, mais leite eu teria. Vocês sabiam que a maior parte do leite é produzido na hora em que o bebê mama? Nosso corpo é realmente perfeito! O leite é fresquinho! rs A alimentação balanceada e rica é muito importante, mas o que funcionou mesmo para mim foi amamentar. O leite não precisa ficar “estocado”. Quanto mais amamento, mais produzo. Isso inclui deixar o bebê ficar no peito mais tempo do que “o esperado”. É difícil aceitar essa coisa de “chupetar” o peito, porque a nossa sociedade olha feio mesmo e muitas mães acham um absurdo deixar o bebê muito tempo no peito. Acham que ele “vai ficar mal acostumado”. Mas eu acredito que, além de acalmar o bebê, aumenta a produção e esse leitinho é o que dá saciedade, por ser o mais gorduroso. (gente, é a minha opinião, ok?)

Saúde do bebê

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é recomendado o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade. Não é apenas porque é “bonito” ou “está na moda essa coisa de amamentar exclusivamente até os 6 meses”, tem a ver com a saúde do bebê! E também não acho certo pensar assim: “ah! minha mãe e avó sempre deram suquinhos e frutinhas e nós sobrevivemos, somos fortes e saudáveis”. A medicina avançou muito e concordo que precisamos da experiência da nossa mãe e avós, mas apenas o que for bom. Se os estudos demostram algo contrário, por quê temos que teimar só porque era assim no passado? Temos maturidade para escolher e não podemos esquecer que somos nós, mães, quem decidimos o que é melhor para o nosso filho.

O sistema digestivo e renal da criança pequena são IMATUROS, o que limita a sua habilidade em manejar alguns componentes de alimentos diferentes do leite humano/substituto, podendo causar sobrecarga e conseqüências a CURTO, MÉDIO e LONGO prazo. Devido á alta permeabilidade do tubo digestivo, a criança pequena corre o risco de apresentar reações de hipersensibilidade a proteínas estranhas, e ainda, o rim imaturo, por sua vez, não tem a necessária capacidade de concentrar a urina para eliminar altas concentrações de solutos provenientes de alguns alimentos. Em torno do 6º mês, a criança encontra-se em estágio de MATURIDADE FISIOLÓGICA que a torna capaz de lidar com alimentos diferentes do leite.” (Katia Cili, nutricionista materno-infantil) 

Eu acreditei!

Também acredito que amamentar está ligado ao psicológico. Eu acreditei e confiei no meu corpo e na minha capacidade de nutrir a minha bebê. Deu certo para mim e foi uma grande vitória. Quero continuar amamentando até quando for bom para nós duas. Foi fácil? Não! Cada dia uma conquista, uma novidade. Mas eu sou uma fiel incentivadora da amamentação. Agora, estamos prontas para o próximo capítulo! Ah!! A maternidade é realmente surpreendente.

Deixe seu comentário

10comentários

  1. Amanda Ribeiro - 15 de fevereiro de 2016 às 10:06

    Que lindoooo. já estou orando tb, para conseguir amamentar o Arthur exclusivo até os 6 meses! Bj, @mamaequeviaja

    1. Lapis Noiva - 17 de fevereiro de 2016 às 15:02

      Amanda, vai dar certo e vai ser lindo!!!! Ansiosa para conhece-lo!

  2. Patrícia de Paula Ledoux Ruy de Souza - 16 de fevereiro de 2016 às 14:57

    Que maravilha Lore!
    Vc acreditar é a melhor lição!
    Também sou grande incentivadora da amamentação e acreditei que eu seria capaz e fui e sou! Nicolas tem 1 ano e 6 meses e ainda mama, já come outras coisas é claro, tem um boa alimentação, mas o mamazinho ainda está ali, além de alimentar o corpo, alimentando a alma, minha e dele, pois me sinto muito feliz em poder nutri-lo e ele adora o aconchego do colinho da mamãe. Até quando? Não sei dizer, mas enquanto for bom para nós dois assim será!
    Beijo grande, Paty e Nicolas

    1. Lapis Noiva - 17 de fevereiro de 2016 às 15:03

      Paty! É uma delícia mesmo.
      Tem os momentos de privações, mas passa tudo tão rápido. Vale a pena cada minutinho com a cria no colo, não é mesmo?

      Um beijo nosso para vocês!

  3. SWANA da Silva Rocha - 19 de fevereiro de 2016 às 15:03

    Amamentei meu filho exclusivamente até o sexto mês e depois intercalamos com frutinha, suquinho, papinha e assim foi… Hoje ele tem 13 anos com muita saúde, graças a Deus.. Para mim, foi o maior desafio, como também, o maior presente que recebi. A amamentação é um presente do criador. Dar ao filho um alimento saudável na medida certa é a certeza de que Deus está zelando e provendo.

  4. Alessandra Andrade - 22 de fevereiro de 2016 às 10:11

    Você é um sonho Lore!
    Parabéns por esta decisão, a melhor diga-se de passagem! Espero que outras mamães se inspirem ao lerem e escolham a livre demanda.
    Beijos para as princesas!

  5. marciane Salazar - 4 de novembro de 2016 às 15:29

    Olá mi chamo marciane tenho um casal, mas minha filha tem seis anos não consegui amamenta exclusivamente ela, logo dei outras coisas.. Agora bb tem cinco meses e uns vinte cinco dias.. Mas está exclusivamente só no peito.. Mas tem uns dias q ele não dormem a noite, nem o dia, são apenas cochilos.. Não sei o q Faz sera q e fome..

    1. Brenna - 3 de janeiro de 2017 às 23:57

      Creio que nao é fome , meu bb durante o dia so coxila tbm , ele tem so 4 meses e só mama tbm

  6. Geiciane - 14 de novembro de 2016 às 00:23

    Que bênção essa leitura para mim! :)
    Me identifiquei com tudo que foi colocado e me sinto mais segura, pois sei que não sou a única a achar que “cada dia é uma conquista e uma novidade :)” Sabia da importancia do leite materno e antes do Levi nascer, já tinha decidido amamentar exclusivamente, mais também sempre orando a Deus para que desse tudo certo. Não ligava muito para aprender sobre amamentação, mais assim que o apressasinho nasceu rs (de 35 semanas) e logo veio para os meus braços para ser alimentado, comecei a ler bastante…pois sabia que iria travar uma luta de questionamentos familiares, pois a cultura dos que nos rodeiam (sogra, irmã rs) é de…”mulher deixa de besteira dá um mingauzinho que num instante ele aquieta”… ou “Geiciane mulher, dá água esse menino, fulano já come isso e aquilo outro”.
    Mais graças a Deus, meu marido super apoia a amamentação e isso ajuda muito, de fato, amamentar exige muito de nós mães, porém é um investimento na vida de um filho a longo prazo, afinal Deus nos presenteou com o leite materno, sei que vale a pena, hoje o Levi está com três meses e dezoito dias, ganhando peso e se desenvolvendo muito bem, saiu da maternidade no peso limite 2,500kg e hoje está com 7,300kg só mamando no peito. Parabéns pelo post, estou ainda mais encorajada para prosseguir…Deus abençoe você e sua família :)*!

  7. Brenna - 3 de janeiro de 2017 às 23:54

    Concordo super , meu bb esta no quarto mês de amamentaçao exclusiva e pretendo ir ate os 6 meses tbm .