Tudo que você precisa para casar

a história da me{nina} e do guapo

(aperte o play para ler a história de amor com a música da Nina & Roberto)

como eu amo histórias de amor! e a de hoje, especialmente, já me fez ficar com o coração acelerado, sorrir sozinha, ficar ansiosa e me emocionar muito!

a Nina é uma querida. ela é fotógrafa e participou do último AME Project, onde a conheci. depois disso, trocamos contato (face, instagram, etc). acabei que “acompanhei” a vida dela e ela a minha hihi… depois nos encontramos no Estagiárias da Ju, já que é ela quem cuida das redes sociais da Ju Françozo e o do Blog Festejar é Preciso.

nesse ínterim eu ficava só babando nas fotos dela! sempre feliz, viajando, amando! até que um dia eu entendi que o tal namorado dela, o famoso “guapo” é gringo! hihi… e que eles namoram à distância! só que não é uma mera distância de algumas cidades, mas sim de continente! claro que eu fiquei mais curiosa ainda e a Nina me contou como tudo aconteceu!!!

no final do ano passado a Nina foi viajar pra Europa. em uma noite gelada do dia 20 de dezembro ela conheceu, de uma forma atrapalhada, o amor da sua vida! “apaguei a luz do toillet (feminino + masculino) e quando acendi super sem graça, os meus olhos cruzaram com os do homem mais lindo que eu já vi. foi amor à primeira vista. em inglês, pedi desculpas, e escutei a voz com sotaque espanhol que em fração de segundos fez o meu corpo se aquecer em pleno inverno europeu”. 

eles, juntamente com suas famílias, estavam fazendo um tour pela Europa. a Nina conta que não faz ideia o que o guia turístico falava a respeito da cidade da luz! (risos). quando seguiram para Amsterdam, no ônibus, a Nina sentou-se do lado oposto ao do guapo para durante as próximas horas conseguir olhar pra ele… através do reflexo da janela! “tentei entender o que ele  hablava rapidamente com a sua irmã, sem êxito! com o ipod ligado e “a thousand years” no looping eterno, mergulhei em meus pensamentos, precisei colocar um freio em mim mesma. eu não poderia estar tão encantada por alguém que só sabia da minha existência por causa de um vergonhoso acontecimento, só seria aceitável se eu tivesse menos de 18 anos, mas não, eu tenho 10 anos mais do que isso”

na véspera do natal embarcamos de frankfurt para madrid: eu e minha família, ele e a família dele. a minha intuição às vezes grita para que eu a escute, raramente dou ouvidos, mas dessa vez decidi dar a atenção que ela merecia. porém, o seu conselho me parecia bobo, i nfantil e exigia coragem: escrever um bilhete que chegasse nas mãos do guapo apenas para que ele soubesse que como um imã atraiu os meus olhares durante todos os dias daquela viagem. revirei a minha bolsa em busca de um pedaço de papel e de caneta para materializar os meus pensamentos. escrevi, rasurei, selecionei cuidadosamente algumas palavras para não parecer uma adolescente, embora tudo aquilo me levasse a questionar a minha real idade. um pouco distante do que considero racional, eu não me comportava como uma mulher de quase 30 anos e nem me sentia como se fosse. deveria, mas as mesmas “borboletas que voavam no meu estômago” quando eu tinha 17 anos, pareciam novamente bater as coloridas asas.

se tivesse um perfume teria borrifado no bilhete de 4x4cm, que tinha destinatário e remetente. pensei em desistir, guardei no bolso, tirei, guardei novamente. a minha intuição estava com pompons em mãos e vibrava como uma cheerleader, cantava bem alto algo que rimava para me encorajar a entregar aquele pedaço de papel. “vamos lá, nina. respira fundo…ninguém vai fazer isso por você!”, pensei.

ele se levantou rumo ao fundo do avião, não tive tempo o suficiente para cogitar uma desistência, fui atrás dele. quando nos cruzamos no estreito corredor, entreguei e pedi para que lesse. eu só me recordo de ter me sentido igualmente nervosa na minha apresentação de TCC para uma platéia de hummm…100 pessoas? voltei para o assento 22B, me afundei com vontade de desaparecer como mágica. eu não precisei de espelho para saber que o meu rosto estava vermelho, queimava. 

eu tenho vontade de colocar a história completa deles aqui! é muito amor! é muita paixão e parece que você está dentro de um livro de romance!!!!
pra tentar resumir, no dia de natal, ele a levou pra  jantar e foi quando tudo começou. 

existe uma distância enorme entre eles, mas como a Nina conta a nossa história segue assim, com reticências (…) mas, o meu amor tem asas e ele pode voar…”

a história completa você encontra aqui!  a Nina criou um cantinho pra contar a história de amor da vida dela, da vida deles!  eu li toda a história de uma vez! tudo tão lindo e tão sonhador! 

 

já foram muitas viagens nesses 8 meses!

“no passaporte o destino é a FELICIDADE. o sentimento em comum é a SAUDADE. e saudade é pra quem gosta de verdade…bóra viver esse amor ibérico! assumir um compromisso assim não é pra qualquer um. não é pra quem se dilacera com ciúmes. não é pra quem se acha no direito de sucumbir às desconfianças. não é pra quem tem a imaginação demasiadamente fértil. não é pra quem tem pressa. não é pra quem curte um namoro em que dois se transformam em um. é pra quem confia. é pra quem encara a saudade como uma grande labareda que esquenta ainda mais o amor. é pra quem entende que o tempo tem a solução para a proximidade. uma vez li na marie claire a melhor definição: 

“um namoro à distância é para aqueles que entendem na saudade a gasolina do romance. aqueles que curtem um reencontro, aqueles que vivem e revivem as memórias com trilha sonora na cabeça.”. e é verdade!”

 

no começo desse mês o destino deles foi Ushuaia. o amor não escolhe lugar, hora, momento certo…

e exatamente hoje eles estão dizendo mais um “até logo”! de Foz do Iguaçu ela segue pra SP e ele pra Espanha!

“e é assim: a gente vive na contagem regressiva para se reencontrar e teme o dia do “até daqui 2 meses!”. encarar um namoro à distância – continentes distintos – tem dessas: você abre mão dos finais de semana juntos, das ligações fora de hora, do beijo e do abraço quando queremos e vive com o coração transbordando de saudade. tudo isso faz a gente sonhar e valorizar cada segundo de mãos dadas. deixa esse nosso amor mais intenso por dentro que por fora.

hoje eu não largo da mão dele até que atravesse aquela porta de embarque”.

 

minha dose de amor pro resto da semana está aqui! 

Nina, querida, estou sonhando com o dia em que você vai me escrever contando “vamos nos casar!”. um amor desse merece tudo o que a vida tem de melhor e dias incríveis! logo logo você vai poder dormir e acordar do lado dele e vai achar que está sonhando, mas não estará! estou aqui na torcida! toda a felicidade pra vocês!

fotos: Nina Bedacchi

Tudo que você precisa para casar

Favoritos

Para favoritar esse post,
você precisa fazer login com usuário noiva/noivo.

Ainda não tem uma conta?
Cadastre-se