ebook lapis de noiva

Fiquei Noiva Lápis de Noiva eBook

Elopement romântico e minimalista no pôr do sol de Bordeaux – Jana & Rodrigo

Hoje tem um casamento incrível de lindo pra vocês aqui! Foi num lugar maravilhoso, daqueles de historias de amor com finais felizes, com uma vista que nem da para acreditar que existe e noivos apaixonados. Tem coisa melhor?

A Jana e Rodrigo são de Belo Horizonte, amam viajar e praticar esportes. Aproveitaram uma maratona em Amsterdã para dizer SIM um para o outro em um casamento a dois na França, em Bordeaux, onde os protagonistas eram apenas os dois (na verdade precisa de mais alguma coisa?). Não havia nem decoração, pois, seguindo a proposta de um casamento minimalista, usaram como cenário a sala de degustação/fumoir do hotel. Os tons terrosos da sala, em contraste com o verde da vinícola ao fundo, foram a paleta perfeita! Inspire-se com outros casamentos a dois que já passaram pelo blog.

A Jana contou que, “casar só eu e Rodrigo, num lugar tranquilo e afastado, do jeitinho que queríamos, só me mostrou que a originalidade e a coragem de assumir os próprios desejos valem a pena: ali, sem pensar nos outros, pudemos nos concentrar um no outro.”

No dia do casamento, a Jana fez exatamente o que faria em qualquer outro dia: acordou, tomou um café leve, saiu para correr, tomou banho, tomou um café “reforçado” e foi ler. Isso tudo com a pessoa que ama, como foram nos últimos 13 anos, e como ela torce para que seja pelos próximos.

Casamento a dois na França

“Queríamos um casamento minimalista, só eu e ele. Como ambos trabalhamos com público, desejávamos uma cerimônia intimista, quieta, tranquila. Além da discrição, a delicadeza era um ponto importante para nós.” Assim, a Jana e o Rodrigo optaram por um casamento no campo, que reunisse algumas de suas maiores paixões: mato (eles moram em uma chácara afastada do centro de BH), vinho (no local encontra-se uma linda vinícola) e esporte (no fim da  viagem de casamento eles correram a Maratona de Amsterdã). “Pedimos uma cesta de piquenique no hotel, que veio com uma variedade de queijos, presuntos, sanduíches e frutas, e algumas garrafas de vinho.” Veja aqui um casamento no estilo piquenique.

Vinho e corrida, duas das maiores paixões da Jana e do Rodrigo, realmente não poderiam faltar. Por isso, no dia do casamento, às cinco e meia da manhã, eles saíram para o treino de 16km (afinal, a prova em Amsterdã era dali a uma semana apenas). Fizeram questão de beber na hora do almoço e, assim que a celebrante disse as palavras finais, abriram uma garrafa de vinho! O detalhe é que a celebração feita se chama “Cerimônia do vinho”. Ao final dela é entregue aos noivos uma garrafa de vinho que só pode ser aberta no aniversário de cinco anos de casamento. Conheça outras simbologias cerimônias de casamento aqui.

Histoire d’amour

Os dois se conheceram em uma casa de samba em Belo Horizonte, em 2005. O Rodrigo contou que a Jana o abordou dizendo que tinha tentado fazer contato visual com ele por horas, mas que ele não a notava. “Ela foi até mim, me disse só isso e foi embora. Enquanto eu tentava entender o que havia acontecido, trinta minutos depois ela voltou, e quando eu a vi entrando pela porta novamente, eu já sabia que ali começava uma linda história. Conversamos, rimos, nos conhecemos e foi tudo sensacional.” Após essa noite eles não trocaram telefones.

Semanas depois os dois se encontraram acidentalmente. O Rodrigo estava em um bar com um amigo, e enquanto contava sobre a menina sensacional que ele tinha conhecido, a viu do outro lado do bar em uma mesa com as amigas dela. Ele não pensou duas vezes, levantou da  mesa e foi até a Jana. “Disse que era um prazer revê-la, cumprimentei todas e voltei pra minha mesa. Horas depois ela surgiu do nada e junto com uma amiga veio sentar na minha mesa. Por lá ficamos por horas a fio e mais uma vez encontrá-la havia sido lindo.” De novo não anotaram os telefones.

Mais de um ano depois, ao passar na porta do bar do último encontro, o Rodrigo lembrou da Jana. Pensou em convidá-la para ir a um show, mas não tinha o telefone dela! Porém, ele lembrava vagamente da combinação de números iguais. E na terceira tentativa ele consegui falar com ela. “Ali, nossa história começava de verdade. A convidei para ir, ela aceitou e fomos juntos. Mais uma vez a noite foi tudo de melhor e dessa vez, trocamos nossos telefones e já marcamos outro programa. Em setembro de 2006 começamos a namorar.”

Tudo ia maravilhosamente bem, quando em dezembro do mesmo ano, o Rodrigo recebeu um convite profissional e aceitou, se mudando de Belo Horizonte. Começaram um namoro à distância. Foi duro, difícil, muitas discussões, muitas ausências, muitas saudades, muitas despedidas. Mas sabiam que o namoro era um encontro raro.

Em outubro 2012 o Rodrigo voltou para Belo Horizonte. “Nessa altura do campeonato já desejávamos viver juntos, ter nossa casa, viajar, explorar o mundo e construir uma nova página na nossa história. E assim fizemos. Em dezembro do mesmo ano já estávamos nos mudando para a nossa primeira casa. ” Hoje os dois vivem em uma chácara, afastada da cidade, com seis cachorros, exatamente do jeito que sempre planejaram. Um lugar cheio de amor! Cada dia mais!

Momentos Únicos

Por incrível que pareça, para a Jana, foi o pré-casamento. Quando acordaram para correr, o dia estava horroroso: cinza e chuvoso. Ao longo de toda a corrida e de toda a manhã, o tempo continuou assim, então ela e Rodrigo se conformaram de que tinham atravessado o Atlântico para se casar na França, um lugar lindo, mas com um tempo péssimo, que atrapalharia não apenas as fotos, mas a cerimônia em si. Na hora do almoço, no entanto, o tempo começou a dar sinais de melhora… Mais perto do horário da cerimônia, que estava marcada para as 16:00hs, o tempo abriu completamente e apareceu um sol lindo, com uma luz maravilhosa, que apenas ressaltou aquele hotel cinematográfico. Minutos antes de a cerimônia começar, esse sol entrou pela janela da sala em que a Jana estava esperando, sozinha, e inundou o ambiente. Foi o momento mais bonito que ela viveu até hoje. “Ali comecei a chorar, e não parei até o fim da cerimônia, porque entendi que a vida (e o casamento!) é isso: aprender a lidar com as frustrações, perseverar, e aproveitar quando tudo finalmente dá certo (porque sempre dá, de um jeito ou de outro).”

Je t’aime, casa comigo?

A Jana e o Rodrigo amam cachorros. Em 2017, ao sair de um dia exaustivo de aulas, ela foi surpreendida ao chegar em casa e ver a sala cheia de velas, a mesa de jantar posta e um delicioso jantar esperando. “Fiquei feliz pela sensibilidade dele em me receber após um dia cansativo com um jantar cheio de mimos. Mas inicialmente não me atentei para o fato de uma das nossas cachorrinhas estar dentro de casa o tempo todo, normalmente elas ficam apenas no terreiro. Quando a energia da rua, a agitação do trabalho, foi diminuindo e eu fui observando um pouco mais ao meu redor, percebi que nas costas da nossa pinscher, Teodora, tinha uma coisa vermelha. Ao pegar ela no colo, vi que era uma caixa de alianças. Percebi o que estava acontecendo e começamos os dois a chorar.”

Veja Também:

Um elopement wedding para celebrar a vida, a família e o amor incondicional – Daniela & Daniel
Elopement rústico e romântico numa tarde gostosa em São Roque – Larissa & Diego
Elopement rústico e intimista na Toscana – Mari & Emanuelle

Fornecedores

Local: Les Sources de Caudalie  | Vestido da Noiva: Ateliê Lu Pozzolini | Sapato da Noiva: Luiza Barcelos | Maquiagem: Luciana Caroline | Traje do Noivo: Brooksfield | Celebrante: Blanca Bertely | Música: Rafael Carmo | Fotografia: Meiry – Flânerie Photo | Assessoria Completa: Leroy Viagens (Roberta) | Alianças: DMM Joias

Comentários via Facebook

Deixe seu comentário via blog

Comentários via blog